Skip to content

ser ou não ser? caveiras: eis a questão!

8 de setembro de 2010
by

Já faz algum tempo que as caveirinhas estão em alta e aparecem de estação em estação nos desfiles de moda. A Gaina, nova marca disponível na 11.16, usou e abusou do objeto em sua última coleção. Quem também trouxe o elemento foram a Pop Up Store e a livraria Haikai, ambas também à venda na loja:

vestido pop up store

1. vestido pop up store

2. camiseta gaina navy; 3. tricot branco gaina; 4. colares com pingente gaina; 5. sapatilha bicolor gaina; 6. pulseiras de couro gaina; 7. caderno haikai; 8. caixinha de metal; 9. tricot preto gaina.

2. camiseta gaina navy; 3. tricot branco gaina; 4. colares com pingente gaina; 5. sapatilha bicolor gaina; 6. pulseiras de couro gaina; 7. caderno haikai; 8. caixinha de metal; 9. tricot preto gaina.

Para esclarecer a aceitação das caveiras nas passarelas e nas ruas, nosso responsável comercial, Raphael Francischini, escreveu sobre a ascensão das caveiras do submundo ao mundo da moda:

Não se sabe quando a caveira se tornou um ícone. Mas que ela já influenciou fortemente a literatura, a arte e a moda, isto é um fato. Quem não se lembra da cena shakespeariana de Hamlet, que segura uma caveira entre as mãos e solta a sua mais célebre frase: “Ser ou não ser, eis a questão”? E do momento em que o mundo da arte foi abalado, quando uma caveira toda cravejada de diamantes do insólito artista Damien Hirst foi vendida pela espantosa quantia de R$ 100 milhões de dólares?

Os que apreciam o símbolo com veemência sabem que ele tem um significado especial no México, e que foi o protagonista de toda a obra do cartunista e gravurista José Guadalupe Posadas. Já os mais rebeldes costumam associá-la ao grupo Hell’s Angels. E, obviamente, os aficionados pelo universo fashion sabem que esse é o R.G. do estilista Alexandre Herchcovitch. O fato é que as caveiras vêm ganhando fãs e história ao longo do tempo. E, neste momento, com o revival do estilo rocker-dark-punk, ela está mais na moda do que nunca.

A tendência foi impulsionada pela morte do estilista Alexander McQueen, que tinha a caveira como marca registrada.

Não é de hoje a paixão da moda por esta imagem, que tem um pé no estilo gótico. Jean Paul Gaultier usava caveiras bem miúdas nos anos 1980, que de longe pareciam estampa de poás. Costanza Pascolato, por exemplo, apareceu com um anel de caveira durante a última semana de moda paulistana Ganhou do seu neto que comprou na Carnaby Street, em Londres.


2 Comentários leave one →
  1. cássia permalink
    8 de setembro de 2010 19:27

    muito legal Luiza!
    eu voto ser!

  2. Fernanda permalink
    8 de setembro de 2010 20:51

    ótimo post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: